Projeto “Bab Al Amal”

Formação e Inserção Profissional
  • 42 mesesMaio 2018-Outubro 2021
  • Chade
Tchad

Promover a inserção socioeconómica dos jovens do Chade vulneráveis, dos quais 40% mulheres, pela implementação de serviços de apoio à formação qualificadora e à inserção profissional.

Locais de intervenção

Chade
  • Abéché
  • Bongor
  • Moundou
  • N'Djamena
  • Sarh

No Chade, 64,2 % dos trabalhadores são trabalhadores pobres, vivem com menos de 3.10$ (PPP) por dia. (Dado PNUD).

O emprego e a formação profissional fazem parte das prioridades do governo do Chade. De fato, está empenhado em aumentar as capacidades de acolhimento das estruturas de formação profissional, em racionalizar a oferta, alinhando-a com o mercado de trabalho, e em profissionalizar os cursos de ensino superior no âmbito do atual Programa Nacional de Desenvolvimento.

O projeto Bab Al Amal intervém em adequação com o Programa Nacional de Desenvolvimento do Chade, e está inserido na continuidade do que a ESSOR já empreendeu no Chade, vindo a reforçar a ação nas zonas de intervenção existentes e ampliando para 3 novas cidades:  Moundou, Bongor e Sarh.

No quadro do projeto, uma atenção particular é dada à questão de género que é pensada no contexto das problemáticas de empregabilidade dos jovens. Realmente, as normas sociais no Chade continuam sendo obstáculos invisíveis para o acesso das mulheres à formação profissional e também a sua entrada no mercado de trabalho. Desta maneira, a formação humana / MUVA implementada no projeto Bab Al Amal tem como objetivo reforçar o acesso às oportunidades, à aprendizagem do saber-fazer e conhecimento e, enfim, o desenvolvimento de atitudes e uma tomada de consciência sobre si e do seu entorno jovem, principalmente das mulheres, afim de incentivar a sua autonomização económica.

Nossos compromissos

  • Apoiar o governo na luta contra o desemprego jovem.

  • Promover o acesso dos jovens aos dispositivos de formação profissional.

  • Acompanhar os jovens na sua estratégia de busca de emprego.

O projeto em ação

  • Selecionar os setores de formação promissores, adaptados ao nível de educação dos jovens e ao mercado de trabalho local.
  • Identificar e selecionar os jovens em situação de significativa vulnerabilidade socioeconómica.
  • Propor aos jovens um percurso de Formação Humana, para lhes permitir desenvolver as competências chamadas suaves «comunicação, confiança em si, criatividade…» cada vez mais procuradas pelos empregadores.
  • Oferecer aos jovens um percurso de Formação Profissional, teórico e prático, de 3 a 6 meses, em um setor promissor em ligação com a dinâmica económica local
  • + Acompanhar os jovens na sua inserção profissional: procura de estágios/ emprego, realização de CV, preparação das entrevistas de contratação, …
  • Formar as equipes locais e os parceiros para assegurar a durabilidade das atividades.
  • Participar da sinergia de ações entre os atores públicos e privados da formação e inserção profissional para os públicos vulneráveis.
A pepita !

A formação agrícola em três setores, oferecida aos jovens, graças à sinergia intersectorial FIP e AGRI !

Eu inicialmente segui a Formação Humana, onde gostei muito das diversas sessões (relações de género, o empreendedorismo, a orientação). Eu escolhi me orientar para a vigilância, disse a mim mesma que não existe profissão para homem ou profissão para mulher. Depois da formação, realizei meu estágio no hospital de Bongor, depois fui recrutada pela ONG Médicos Sem Fronteiras como agente de segurança! Atualmente, eu trabalho a tempo inteiro como chefe de posto e tenho vários agentes de segurança sob minha supervisão. Recebo 114 000 FCFA por mês (174 €, sendo o salário mínimo 90 €), eu sou orgulhosa de poder ser responsável pela minha família !
Wilsam 28 anos Bongor, chad

En 2019...

  • 852 jovens (dos quais 38% de mulheres) terminaram uma Formação Profissional.
  • 595 jovens (dos quais 36% de mulheres), seguiram um ciclo de Formação Humana
  • 44% (1/3 de mulheres) de jovens inseridos no mercado formal ou informal de trabalho.
  • 3 associações Chadianas formadas
  • 34 técnicos/facilitadores formados
  • 3 plataformas locais abordando os desafios ligados à formação e inserção profissional de jovens foram implementadas.
  • 1 plataforma nacional reunindo os atores públicos e privados da formação e inserção profissional de jovens foi formalizada.

Ao nosso lado neste projeto

Parceiros Financeiros

Parceiros Operacionais