Projeto de estimulação precoce

Educação
  • 36 mesesJulho 2018-Junho 2021
  • Brasil
Bresil

Assegurar o atendimento de crianças entre 6 meses e 6 anos, vivendo em situação de precariedade, portadores de necessidades especiais ou com atrasos neuro-psicomotores e socioeducativos.

Locais de intervenção

Brasil
  • Estado da paraíba
  • Estato da Ceára

No Brasil, mais de 9 milhões de crianças de 0 a 6 anos vivem em famílias debilitadas, em condições difíceis que terão repercussões significativas sobre o desenvolvimento físico e mental das crianças.  Entre 2010 e 2018, a taxa de famílias pobres entre a população passou de 42% a 51% no estado da Paraíba e de 45% a 58% no do Ceará.

É principalmente durante os 6 primeiros anos de sua existência que a criança se constrói, psicologicamente, psiquicamente e emocionalmente. De fato, é durante este período que ela elabora com seu entorno a sua forma de estar no mundo que condicionará seu desenvolvimento cognitivo e social futuro. Este pode, no entanto, sofrer atrasos ou distúrbios significativos, como no caso de crianças que vivem em situação de grande precariedade (econômica, socio emocional) ou portadoras de deficiência, distúrbios generalizados do desenvolvimento (autismo, hiperatividade, …), etc.

Estas situações requerem atendimento precoce e cuidados específicos visando tanto a melhoria dos transtornos quanto a integração social. As carências e limitações territoriais das atuais políticas públicas brasileiras ainda não garantem até agora uma identificação e atenção específica adequada, privando essas crianças, e principalmente as de famílias desfavorecidas, de orientação, tratamento e acompanhamento adequados.

Nossos compromissos

  • Propor um acompanhamento individual e personalizado às crianças.

  • Agir em estreita colaboração com os serviços locais especializados a fim de favorecer a inserção das crianças nas estruturas.

  • Acompanhar os pais no crescimento dos seus conhecimentos, da sua confiança neles mesmos e na compreensão das etapas do desenvolvimento infantil.

O projeto em ação

  • Acolher a família e diagnosticar a situação da criança.
  • Implementar seja em acompanhamento individual, seja em pequenos grupos, favorecendo a aquisição de novas habilidades motoras, cognitivas, afetivas, …
  • Orientar as crianças para as instituições e centros especializados para cuidados específicos.
  • Organizar atividades socio-recreativas e festivais para favorecer ligações sociais entre as famílias.
  • Realizar visitas a domicílio para assegurar a continuidade das atividades em casa.
  • Animar as oficinas temáticas (direitos e deveres das crianças, saúde, prevenção de violência doméstica, …) com os pais.
  • Formar equipes sobre o desenvolvimento infantil, a importância de brincar ou novamente a psicomotricidade.
A pepita !

Uma formação de educadores de estimulação precoce reconhecida pela Universidade Federal da Paraíba ! Uma parceria foi firmada com a Universidade a fim de poder propor aos educadores de estimulação precoce uma formação certificada e, portanto, reconhecida pelo Estado. Esta formação é articulada com o Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade. Esta formação, de 60 horas, mistura teoria e prática. O ensino teórico é dispensado pelos professores da Universidade e a formação prática se desenvolve nos Centros de Desenvolvimento Infantil implantados pelo projeto. Os educadores recebem então, no final da formação, um certificado atestando as competências adquiridas, que podem valorizar diante de muitos empregadores.

Paulo Isaque era uma criança agitada, desatenta, que não socializava com outras crianças e apresentava atrasos no desenvolvimento motor e de linguagem. Graças ao plano de atividades elaborado com o terapeuta ocupacional, a criança realizou progressos significativos e superou certos atrasos. Nas suas reavaliações, podemos identificar que é uma criança tranquila, que obedece as regras, identifica as letras do alfabeto e agora possui uma linguagem de socializada. Ele adquiriu mais autonomia e independência, ele é mais sociável com a família e na escola, e tem, portanto, hoje melhor qualidade de vida, nos o sentimos mais feliz. Seus pais estão também mais otimistas e mais determinados a apoiar Paulo nas suas realizações.
Ana Maraya Educadora estimulação precoce Fortaleza, Brasil

En 2019...

  • 250 crianças (70% das crianças acompanhadas) alcançaram um desenvolvimento adequado à sua idade
  • 25% das crianças com deficiências graves ou distúrbios globais do comportamento
  • A autoestima das famílias melhorou.
  • 10 educadores e agentes de estimulação precoce foram certificados pela Universidade Federal da Paraíba.

Ao nosso lado neste projeto

Parceiros Operacionais