Por meio de seus projetos, ESSOR e seus parceiros acompanham os produtores na transição agroecológica  através, principalmente, da implementação de programas de Formação Agrícola Participativa (FAP) mas também através da estruturação de cadeias de valor em zonas periurbanas.

Durante o estabelecimento de um sistema de certificação participativa para a cadeia de valor agroecológica em Maputo (SPG), uma lista de especificações foi implementada e os produtores se comprometeram à respeita-la para se beneficiarem do selo. No entanto as especificações não eram muito detalhadas considerando a variedade de práticas possíveis e não permitia acompanhar a evolução da apropriação das práticas agroecologias pelos produtores.  

Foi assim que uma grelha de avaliação do nível de adoção das práticas agroecológicas foi criada em colaboração com nossa parceira moçambicana ABIODES para medir mais precisamente e objetivamente a conversão agroecológica dos produtores. Esta ferramenta se baseia em uma série de temáticas (gestão da água, doenças e pragas, fertilidade etc.), com diferentes níveis e critérios para cada temática que vão de “ruim” (cartão vermelho) a “muito bom” (cartão verde). Inicialmente testado em Moçambique – em Maputo e Nampula, esta ferramenta está sendo progressivamente transferida a outras zonas de intervenção da ESSOR.  Ela permitirá não somente acompanhar a implementação do sistema de certificação participativa, mas também de facilitar e melhorar o acompanhamento dos produtores pelas equipes técnicas no terreno. ESSOR vai capitalizar primeiramente a utilização desta ferramenta antes de partilhar com outras ONGs que trabalham em temáticas similares.

Notícias sobre os nossos projetos

A história de vida de Alladoum no Chade

Alladoum tem 27 anos e vive em Moundou, segunda maior cidade do Chade situada no Sul do país. Ele abandonou os estudos antes da faculdade por falta de recursos financeiros […]