Testemunho de Suzette, antiga beneficiária do Percurso Cidadão em Bissau:

” Hoje eu sou uma pessoa bem diferente daquela que eu era. Antes, eu era contida, deixava as pessoas serem violentas comigo. Eu não sabia se eu tinha direito de me defender enquanto menina. Porque não há igualdade entre meninas e meninos na minha casa, nem mesmo na minha comunidade. Eu não sabia como me defender. Eu não sabia que as meninas tinham os mesmos direitos que os meninos. Graças ao “Percurso Cidadão” eu aprendi que as meninas podem fazer as mesmas coisas que os meninos, em casa eu aprendi que tenho os mesmos direitos que meus irmãos!

Minha irmã e eu sofremos violência doméstica e psicológica. Eu fui criada pela minha prima e ela me violentou principalmente psicologicamente. Ela disse coisas que me fizeram odia-la. E ela me obrigou a fazer trabalhos que não eram adequados para a minha idade. Eu só compreendi que se tratava de violência graças ao Percurso Cidadão. Hoje eu sei me defender, e fazer valer meus direitos.

Hoje eu sensibilizo pessoas da minha comunidade, principalmente as meninas porque, no meu bairro, há muitas meninas que entram na prostituição, saem até tarde da noite e não se preocupam com a escola. Então, eu tento dizer a elas que elas devem estudar para se tornarem grandes mulheres no futuro e não dependerem dos homens.

Antes do Percurso Cidadão, eu queria ser técnica informática, mas depois, eu adoraria ser técnica em gestão ambiental para proteger meu país e minha comunidade. E eu gostaria de participar de uma associação para poder proteger as crianças, as meninas como eu que sofrem de abuso sexual, de violências psicológicas. Aquelas que são obrigadas a se casar muito cedo, aquelas que ficam grávidas precocemente.”

Notícias sobre os nossos projetos

A história de vida de Alladoum no Chade

Alladoum tem 27 anos e vive em Moundou, segunda maior cidade do Chade situada no Sul do país. Ele abandonou os estudos antes da faculdade por falta de recursos financeiros […]